quarta-feira, 30 de março de 2016

Agora tudo é perto
Tudo Tão próximo
Tão claro e incerto eu sei
Espaço é trivial demais
Basta encontrar
Em pixels, cores primárias,
Sintetizada voz.
A Carne é trivial demais
É tudo tão real…
Agora tudo é perto.
Tudo tão claro.
E não que seja certo
E não que seja fácil
Apenas trivial demais…

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Fazia solidão...
Um eu, outro eu 
E as projeções de você 
Brotando por cada fresta do telhado

segunda-feira, 17 de março de 2014

Veio como o primeiro mar:
Raptou meus olhos,
Inundou meus sonhos,
Rasgou meu ar...




quarta-feira, 27 de novembro de 2013

A rua não tem memória,
Não tem cheiro.
Nem as paredes ásperas das casas nuas
Tem sabor.

E os muros chapiscados com
Seus limos e fungos,
Há muito descoloriram no cinzaral
das ilusões.

Ah aquela rua sem sensações!

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Só pra recordar,
Ouvi sussurros sutis
A desenhar portas jamais abertas.
Como não lembrar
A falta do não será?

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Driblecência na boca:
Incapacidade merthiolate
num espaço tão curto entre a mente e a mão.




quarta-feira, 24 de abril de 2013

Carne do prazer
Soberba e vaidade minha
Amor e ódio no mesmo copo
Antes eu quem te consumia...

segunda-feira, 8 de abril de 2013

"Estou tão cansado desta cidade..."

domingo, 7 de abril de 2013


Passo lento e calmo,
Ondas que me afagam:
Me ponho sol e esperança.

terça-feira, 2 de abril de 2013

quando parei de sonhar
senti a cor do chão que um dia filosofei